Pedro Bragança

Mensagem do Presidente da Associação Concelhia das Festas de S. Bartolomeu

 

Eu vou!

Eu vou à Romaria de S. Bartolomeu, entre os dias 19 e 24 de agosto, em Ponte da Barca. Eu e milhares de pessoas temos encontro marcado com aquela que é a mais tradicional Romaria do Minho. É assim todos os anos!

Concertinas e castanholas entoam pelas ruas da vila acompanhadas por muitas vozes desgarradas, emprestando muita animação, folia e alegria a todos aqueles que nessa ocasião nos visitam. Uns vêm das freguesias do concelho e dos concelhos vizinhos, outros regressam às suas origens para visitar família e rever amigos, e há ainda aqueles que se deixam tomar pelo “diabo que anda à solta” e após a estreia se tornam fiéis presenças na Romaria.

É um tempo único de comunhão e de partilha. Nas habituais tasquinhas degustam-se os melhores petiscos e vinhos da região ao ritmo das danças e cantares tradicionais. Ao mesmo tempo, as estrelas espreitam tentando ouvir as conversas que se prolongam pela noite dentro, e deitam o olho à vizinha feira de artesanato.

Jogos para crianças, o jogo da malha, os concursos pecuário, do linho e do melão “Casca de Carvalho” são outros momentos que abrilhantam a festa.

A ribeira de Vila Nova de Muía é invadida por milhares de pessoas, forasteiros e barquenses, para assistir a um dos desportos mais antigos e populares – a corrida de cavalos.

As ruas da vila vestem-se com muita cor para o concurso de varandas, janelas e montras, onde os frangeiros são donos do papel principal.

A animação proporcionada pelos vários grupos de bombos que deambulam pelas ruas da vila e abrilhantam o magnífico cortejo etnográfico, que durante dias é preparado com muita dedicação pelas associações e juntas de freguesia, é também muita apreciada.

Os festivais Folclóricos, a festa da Rádio Barca, os cantares ao desafio e o espetáculo musical, este ano protagonizado por José Cid, dão cor às noites da Romaria, concorrendo com a decoração colocada nas praças, ruas e locais dos espetáculos.

Sim, também vou à grande noite. Todos aguardamos, ano após ano, por esta que é a noite mais longa do ano. Entre conversas e copos, lá passa mais uma rusga, ao mesmo tempo que no largo do Urca, a roda do vira não para como que a lembrar-nos que esta é uma Festa em que a tradição é rainha. Depois o baile, espontâneo como o abraço, que ao som de músicas populares, que todos cantam e dançam, teima em ver o nascer do sol.

Restam ainda as últimas forças para assistir à Majestosa Procissão em honra de S. Bartolomeu. Em jeito de despedida, e já em contagem decrescente para o ano seguinte, olho o céu para assistir à magnífica sessão de fogo-de-artifício no rio.

Na qualidade de presidente da Associação Concelhia tenho a honra de representar uma equipa que, de forma abnegada, tudo está a fazer para que se cumpra a tradição de fazer desta festa a Romaria mais genuína do Minho.<

Junte-se a nós e venha.

Pedro Bragança
Mensagem do Presidente da Associação Concelhia das Festas de S. Bartolomeu